Imprensa deixa de informar e torna-se cúmplice da adulteração de e-mails

Depois do desmentido de ontem, sobre a autenticidade dos e-mails que foram divulgados pela revista Sábado, as coisas ficaram mais claras para quem tinha ainda uma réstia de esperança no jornalismo em Portugal.

Esta manhã, vários jornais, que durante mais de um ano alimentaram esta farsa, continuam a fazê-lo, dando como verdadeiros os e-mails que o Benfica garante que são falsos. E por muito que doa a esta gente, são mesmo falsos(VER PROVAS AQUI). O que torna as coisas, doravante mais claras para todos. Ao optar por divulgar peças que fazem parte de vários crimes, os meios de comunicação que o fazem, deixaram apenas de ser mensageiros desses crimes. Fazem parte do crime. E fazendo parte dessa conjura, devem ser vistos pelos benfiquistas exactamente como aquilo que são. Como criminosos. E não apenas como mensageiros. O resto, como sempre, o tempo aclarará.

Isto deixou de ser jornalismo e passou a ser ficção. Tudo o que possa ser reportado sobre estes e-mails falsos, não são notícias. São panfletos e o Benfica terá de responsabilizar também estas pessoas. Onde andam os jornalistas que facilmente desmontavam os e-mails olhando para as datas? Onde andam esses ditos jornalistas que não conseguiram sequer pesquisar para perceber que os e-mails de Nuno Cabral, eram falsos e que para além disso nem delegado da liga era?

Comments

comments

O que pode ver

FC Porto e Porto Canal continuam a receber dinheiros públicos mas despedem 20 pessoas

O Sindicato dos Jornalistas (SJ) anunciou que, no âmbito de “uma reestruturação interna dos negócios …